CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

Exportação brasileira de milho segue firme, sendo superior ao mesmo período do ano de 2021

Publicados

AGRONEGÓCIO

Conforme o relatório que foi divulgado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, por meio da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), nos 12 primeiros dias úteis do mês de junho, o Brasil já fez a exportação de 431.393,5 toneladas de milho não moído (exceto milho doce).

Dessa forma, a proporção acumulada neste tempo já é 368% maior do que as 92.169,3 toneladas que foram exportadas durante todo o mês de junho de 2021.

Assim, a média diária de embarques está em 35.949,5 toneladas, que comparado a mesma época do último ano, representando uma elevação de 719,1% com relação as 4.389,6 do mês de junho de 2021.

Na última semana, a Associação Nacional do Exportadores de Cereais (ANEC), calculou que a exportação de milho do país no decorrer do sexto mês de 2022, esteja estimado em 1,79 milhão de toneladas, indicando um aumento de 1,7 milhão de tonelada, alternativamente a junho de 2021.

Financeiramente falando, o Brasil arrecadou um total de US$ 138,218 milhões no período, contra US$ 22,022 milhões de todo junho do ano passado.

Leia Também:  Mulheres falam sobre experiência em conhecer pecuária e turismo no Pantanal

Diferente da média diária do atual mês, que contabilizou aumento de 998,4% ficando com US$ 11,518 milhões por dia útil contra US$ 1,048 milhão no último mês de junho.

Já o preço por tonelada obtido subiu 34,1% no período, saindo dos US$ 238,90 no ano passado para US$ 320,40 neste mês de junho.

Fonte: AgroPlus

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Rendimentos de trigo produzidos na Ucrânia podem ser reduzidos, enquanto os de milho podem aumentar

Publicados

em

Por

A unidade de pesquisa agrícola SovEcon da Rússia reduziu seu rendimento de grãos ucraniano em 2022 em 1,4 milhão de toneladas, para 20,7 milhões de toneladas. Na temporada de 2021, o valor total registrado foi de 32,2 milhões de toneladas.

Em termos de safra de milho do país, a consultoria aumentou sua previsão em 1,1 milhão de toneladas, para 28,1 milhões de toneladas ante 42,1 milhões de toneladas até 2021.

De acordo com Andrey Sizov, analista do mercado de trigo da região do Mar Negro e diretor da SovEcon, em um relatório enviado aos clientes, os rendimentos do trigo são baixos nas áreas devastadas pela guerra. Soma-se a isso o baixo rendimento de grãos devido à falta de chuvas. “Grande parte das áreas semeadas recebeu apenas 60% e 80% da precipitação normal durante os últimos meses”, disse.

Odessa, uma cidade costeira da Ucrânia na costa do Mar Negro, recebeu menos de 50% das chuvas. “A produtividade atual de cevada de inverno na região, com queda de 50% em relação à temporada anterior, indica que a produção de trigo também provavelmente será baixa”, disse ele.

Leia Também:  Relatório detalhado das vitrines de pesquisa do Ctecno Parecis está disponível

Por outro lado, a produtividade média do milho aumentou para 6,10 toneladas/hectare de 5,86 toneladas/hectare, e a disponibilidade de insumos agrícolas superou as expectativas.

As condições climáticas são um tanto quanto desfavoráveis devido a ausência de chuvas, lembrou Sizov.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estima que a safra de trigo da Ucrânia seja de 21,5 milhões de toneladas e a de milho seja de 25,0 milhões de toneladas.

Fonte: Agroplus.tv

Fonte: AgroPlus

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA